terça-feira, agosto 26, 2008

Entret. e cultura a 31/08 - BD

Mais um post de BD...

Mark Millar (Ultimates) e J. G. Jones (Y: The Last Man ) criaram a BD exclusiva de super-vilões - Wanted. A história passa-se práticamente na mesma realidade que nós temos e segue a vida de um rapaz que vive uma vida deveras patética mas sem coragem para mudar seja o que fôr. De repente a sua vida dá uma volta de 180º quando descobre que é filho do maior super-vilão de sempre e que o mundo dos super-horóis e super-vilões sempre foi real mas banido da mente dos comuns mortais após a erradicação de todos os super-heróis.


Quem disse que os bons ganham sempre? Esta á uma série adulta, violência faz parte a série e muito criticada pela grande quantidade mas necessária a meu ver para contar um conto mais adulto e verídico de "O que acontecera se...". A violência faz parte do ser humano e quanto mais poderoso mais violento e mais sem sentido será, sempre foi assim na história humana e assim será. Não espera-se lições de moral, mensagens religiosas ou qualquer outra ilação positiva a tirar. A vida real muitas vezes é mesmo assim. Este livro teve uma adaptação cinematográfica, o qual também já vi (a colocar para um post futuro). Recomendado.


Criado por Jim Kruger (Earth X) e Alex Ross (Marvels) a história não é complexa, o fim do mundo está aproximar-se, revelando-se num sonho que todos no Planeta têm e no mesmo nem os Super-heróis são suficientes para o salvar. Este tema é interessante já que se olharmos para a definição clássica de super-heróis é quase a mesma de semi deuses ou mesmo deuses que existem de forma a nos protegerem ou a criar fé que podemos sempre ser mais que aquilo que somos. Aqui a fé abate-se e os super-vilões aproveitam em um golpe de estado, ficar com o lugar dos super-heróis tentando conquistar tudo aquilo que os super-her+ois não conseguiram, curar doenças, acabar com a fome, etc...Conceito interessante mas a série ainda agora começou para tirar mais conclusões. Fica para já a visão da incrivel arte realista de Alex Ross.



Walking Dead Vol 8 - Guerra aberta entre o grupo de Rick e o grupo do Governador. Engraçado que nesta série que continua a ser uma das melhores da actualidade as personagens "zombies" são apenas usadas como ferramentas para uma história que revela o pior e o melhor da raça humana em alturas de crise já que os vivos chegam a ser mais assustadores que os "zombies". As personagens vão diminuindo á medida que morrem e ninguém parece estar a salvo e isso torna o próximo capitulo uma supresa. Continua a ser recomendado.


Green Lantern - Rebirth é um feel good comic, um retorno ás origens onde todos nos sentimos bem, traz Hal Jordan (o lanterna verde original). O objectivo já se sabe, tudo no livro é criado para o trazer de volta e distorcer o passado de forma a ser possível. Nada que quem leia comics não esteja habituado mas já ando nesta vida á muito tempo e já começa a enjoar. Este é um livro de super-heróis no seu âmago e apenas isso que deseja ser e é o que é.




Conan - Born in the Battlefield - bem, após ter verificado que cary Nord iria saír da série e após ter verificado o novo artista voltei costas a esta série. Entretanto havia á minha espera um último livro que não estava dentro da continuidade, o livro "0" que não trazia nem mais nem menos so que a infância de Conan.

Sinceramente todos os livros do Conan desta nova vaga e apesar de escritos por Kurt Busiek (um monstro do mundo da BD), não têm sido uma supresa em termos de história... não são maus, apenas já vi melhor no passado, a arte sim, Cary Nord trouxe uma arte fantástica como já não via desde a cooperação de John Buscema e Alfredo Alcala (em preto e branco) e esta última para mim talvez a melhor ainda até hoje. Es livro acabou por me surpreender pela positiva, a história não se centraliza em aventuras e acção mas nas personagens e no cimentar da personalidade que transformou um pequeno cimeriano no gigante de bronze que desafia reis. Para além desta mudança outra grande surpresa e esta a mais forte, a arte de Greg Ruth. Veio trazer não so a cobertura de chocolate mas a cereja no topo. A parceria foi perfeita para o trabalho. Não é do melhor que se faz hoje em dia mas é um trabalho bastante positivo e o melhor da série.

Bem já cá faltavam mais umas quantas edições de Oh! My Goddess, o qual é o unico manga que ainda adquiro não que não existam muitos e muitos mais mas este é um velho companheiro de há muitos anos e sempre ficou. Alegre comédia feeel good de um rapazito que de repente se vê a viver com várias deusas... um sonho realizado? Talvez...















0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home