terça-feira, junho 03, 2008

Entret. e cultura a 15/06 - Filmes

Tem sido uma roda viva de filmes vistos a um ritmo maior que o habitual, e quantos mais vejo, mais tempo tenho de perder aqui no blog, uma autentica corrida do gato e do rato, vou tentar ser sucinto senão, o post só sai lá para o Natal...

Peço desculpa os, filmes não estão colocados por nenhuma ordem específica, nem pela data que os vi, em suma, estão ao monte... o tempo não dá para tudo.

Marie Antoinette (2006) - Maria Antonieta














O filme mostra a vida de Maria Antonieta (Kirsten Dunst), uma jovem vienense que, em 1774, tornou-se a rainha da França. Às vésperas da Revolução Francesa, ela ficou conhecida entre a população por seu desinteresse político, um dos fatores que culminaram na violenta revolta popular contra a família real francesa...

Filme de Sophia Coppola que conta a história em ritmo pop da vida, de uma miuda que se torna raínha vivendo um conto de fadas podre e claustrofóbico, alheia á realidade que vai mudando. Filmado quase como se passasse nos dias de hoje e torna o filme belo de se ver.

Vantage Point (2008) - Ponto de Mira














O presidente americano é vítima de um atentado na abertura de uma cimeira em Espanha sob o olhar incrédulo de uma equipa de um canal de TV; e do agente secreto que é o seu guarda-costas; e de um turista americano a carpir a separação da mulher; e de um polícia espanhol que desconfia que há alguma coisa mal; e do próprio presidente; e dos responsáveis pelo atentado...

Um filme que é construído com sucessivos "rewinds" na historia que aos poucos vão construindo o quebra-cabeças, não está mau, não senhor.

The Seeker: The Dark Is Rising (2007) - Os Seis Sinais da Luz














A história de um adolescente cuja vida muda radicalmente quando descobre que está predestinado a salvar o mundo. Lançado numa batalha entre o Bem e o Mal, a Luz e as Trevas, o herói terá de viajar no tempo e atravessar séculos para descobrir seis símbolos: madeira, bronze, ferro, água, fogo e pedra.

Um filme que poderia ter sido mais interessante se talvez eu fosse um pouco mais novo (muito). Mais uma digressão pelo mundo da fantasia desperdiçada.

The Forbidden Kingdom (2008) - O Reino Proibido














Jason Tripitikas é um adolescente americano, fanático por heróis de artes marciais e obcecado por clássicos de Kung Fu. Passa a vida metido numa loja de penhores em Chinatown, à procura de filmes a preços baixos e, um dia, descobre um bastão igual à arma lendária do sábio guerreiro, o Rei Macaco.
O proprietário da loja explica-lhe que o bastão se encontra penhorado desde o tempo em que o seu avô geria a loja, há mais de cem anos, e que nunca foi reclamado.
Durante um assalto inesperado, o proprietário da loja é baleado e confia o bastão a Jason, pedindo-lhe que o devolva ao seu legítimo dono.
Com a relíquia na sua posse, o adolescente encontra-se subitamente na China Antiga, onde conhece dois mestres de Kung Fu. Estes, juntam forças não só para ensinar ao jovem artes marciais, como para se lançarem numa perigosa aventura: libertar o Rei Macaco, aprisionado há mais de 500 anos.

Um filme que me fez lembrar das aventuras fantásticas adolescentes dos anos 80, o Reino Proibido junta Jackie Chan e Jet Li, 2 monstros dos filmes asiáticos. Filme visualmente bonito e com acção qb. Divertido.

In the Name of the King: A Dungeon Siege Tale (2007)














Adaptação do jogo Dungeon Siege e sinceramente pelo que sei nem sequer está muito fiel ao jogo. Uwe Boll mais uma vez a aniquilar mais um jogo de computador e é incrível que continua a achar capital para financiar filmes maus uns atrás dos outros...Esqueçam este e passem á frente...

There Will Be Blood (2007) - Haverá Sangue














Um épico sobre a família, a febre do petróleo, a ambição e a vingança, na fronteira da Califórnia. Daniel Plainview (Daniel Day-Lewis, numa interpretação que lhe valeu um segundo Óscar e que tem sido descrita como a mais memorável interpretação de um actor neste século), um prospector de prata que cria sozinho o filho, decide partir para a Califórnia quando ouve falar de uma pequena cidade onde um oceano de petróleo está a revelar-se à superfície. Daniel resolve então tentar a sua sorte em Little Boston, uma cidade degradada e miserável onde a comunidade é uma fervorosa adepta dos sermões do pregador Eli Sunday (Paulo Dano). E, efectivamente, sai-lhe a sorte grande. Mas mesmo com uma fortuna crescente, nada será como antes: as tensões crescem, os conflitos eclodem e valores como o amor, a esperança e a fé são ameaçados pela corrupção e pela desmedida sede de petróleo.

"Haverá Sangue", baseado em "Oil", de Upton Sinclair, é realizado por Paul Thomas Anderson, o realizador de "Magnólia" e "Embriagado de Amor" e foi nomeado para oito Óscares da academia

Um filme que realmente chega bastante em boa época com os preços altos do petróleo e revela uma sede enorme de poder que transcende a própria existência humana. Pessoalmente achei que faltou um pouco mais ritmo mas é possível que a mensagem seja mesmo assim que tem de ser entregue. De qualquer forma Daniel Day-Lewis deita por terra qualquer outro actor com o seu desempenho.

Mr. Margorium's Wonder Emporium (2007) - A Loja Mágica do Sr. Margorium















A Loja Mágica do Sr. Margorium é um paraíso de brinquedos onde tudo ganha vida, inclusive a própria loja. Um dia o sr. Edward Margorium (Dustin Hoffman), que tem 243 anos, decide ceder o controle de seu estabelecimento à insegura e jovem gerente Molly Mahoney (Natalie Portman). Quando um cético contador chamado Henry Weston (Jason Bateman) surge para fazer uma auditoria em todos os brinquedos a loja passa por uma misteriosa mudança. Os brinquedos, antes alegres e coloridos, se tornam silenciosos e acinzentados. Para recuperar o local Molly e Henry precisarão encontrar a magia existente dentro deles próprios, contando com a ajuda de Eric Applebaum (Zach Mills), um garoto de 9 anos.

Um passeio de fantasia e de coisas belas, leves, infantis e positivas, sinceramente, ás vezes faz falta na sociedade um filme como este. Não é tempo mal gasto para quem aprecie o género.

Diary of the Dead (2007) - Diário dos Mortos













Quando, durante uma incursão pela floresta, um grupo de estudantes de cinema descobre que os mortos estão a voltar a este mundo, resolve virar a câmara para o que está a acontecer e criar um diário dos seus sangrentos encontros e da destruição de tudo o que lhes é mais querido.

Diário dos Mortos marca o regresso aos zombies do mestre do terror George A. Romero.

Mais um filme de câmara na mão (tipo Blair Witch) em que seguimos as personagens através dos olhos de um deles (mais concretamente da câmara), sendo talvez o melhor que já vi deste género e mais uma vez como é habitual neste realizador, os zombies não são as personagens principais. A sociedade humana, a busca pela fama, o uso abusivo e fútil da tecnologia são pontos focados pelo realizador altamente critico. Um grande filme para os amantes de cinema mesmo que não apenas de terror - Recomendado

Indiana Jones and the Kingdom of the Crystal Skull (2008) - Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal















Em plena Guerra Fria, Indiana Jones escapa por um triz no deserto a uma emboscada dos soviéticos. Mas quando regressa finalmente a casa e à universidade, percebe que por aí as coisas vão de mal a pior. As suas actividades paralelas lançaram fortes suspeitas sobre si e o Governo está a pressionar a universidade para que despeça o professor. Ao sair da cidade, Indiana conhece Mutt que lhe faz uma proposta irrecusável: partir à descoberta de um lendário objecto, fonte de fascínio, superstição e medo nas últimas décadas - a Caveira de Cristal de Akator. Mas Indy e Mutt rapidamente percebem que não estão sozinhos nesta busca. Também os soviéticos estão no encalço do mítico tesouro...

Bem, bem, este é dificil de criticar em poucas palavras, já que todos crescemos a lembrar dos filmes do Indiana Jones e a adorar a personagem interpretada pelo anti heroi Harrison Ford. Bem, muito rápidamente, o filme está ao nível dos restantes e Steven Spielberg é um mago a "tirar nabos da púcara" se fôr necessário ao longo do filme...Não é o melhor, negativamente, coloca russos (a par da época onde passa) ao invés de nazis e estes não têm a mesma piada. A história poderia estar melhor, podia-se ter usado menos CG e Harrison está a ficar demasiado velho para estas aventuras e não tem um Sean Connery a interagir com a personagem tal como no 3. Positivamente, o saber envelhecer da personagem, o plano do cogumelo atómico com Indiana a olhar para o mesmo e a imagem reflecte a mudança dos tempos que se vivia na altura, a referência ás perseguições "caça á bruxa" contra o comunismo, e interacção de Indiana e Marion... e no fundo a excelente realização de Spielberg.

[Rec] (2007)














Prémio de melhor filme no Fantasporto, é a história de uma equipa de repórteres de televisão que decide documentar em directo uma patrulha de bombeiros em serviço durante a noite. O objectivo é registar todos os momentos destes profissionais, mesmo as situações mais arriscadas. A primeira missão da noite é resgatar uma idosa que se encontra fechada no seu apartamento por motivos desconhecidos. Mas algo durante a missão corre terrivelmente mal. O que parecia ser uma simples tarefa de rotina torna-se num inferno. Algo sinistro e maléfico anda à solta e ameaça a corporação de bombeiros e a equipa de televisão. E a câmara continuará sempre a filmar até ao último momento...

[Rec] é um filme que começa de forma excelente, do estilo "Blair Witch" e durante uma boa parte o filme resulta em pleno, tudo parece realista e a encaixar. É pena que a meio do filme esquecem a fórmula e que não é nenhum filme de Hollywood e as coisas deixam de resultar, começam os clichés e que vão aumentando até ao limiar do aceitável. Não percebi o prémio dado no Fantasporto

The Kingdom (2007) - O Reino















Quando um terrorista detona uma bomba no interior de uma zona residencial americana em Riad, na Arábia Saudita, é desencadeado um incidente internacional. Enquanto os diplomatas debatem equações de territorialidade, o agente especial do FBI Ronald Fleury (Fox) reúne rapidamente uma equipa de elite e negoceia uma viagem secreta de cinco dias à Arábia Saudita para localizar o responsável pelos atentados. Ao aterrarem no reino deserto, Fleury e a sua equipa apercebem-se que as autoridades da Arábia Saudita estão desconfiadas e não vêem com bons olhos a intervenção dos Americanos no que eles consideram um assunto interno. Limitados pelo protocolo e com o relógio em contagem decrescente, os agentes do FBI descobrem que as suas capacidades são inúteis sem a confiança dos seus homólogos Sauditas, que querem localizar o terrorista pelos seus próprios meios...

Filme americano que foca os temas principais que estão muito em voga, os negócios do petróleo e o terrorismo. Se tentar-se ver o filme do ponto de vista de um thriller, é fraco pois não tenta aprofundar muito os temas quentes "apresentados", do ponto de vista de um filme de acção, aqui sim, não está mesmo nada mau.

Um filme que tenta

Elizabeth: The Golden Age (2007) - Elizabeth – A Idade de Ouro














Depois do sucesso de "Elizabeth", Cate Blanchett regressa no papel da implacável "Rainha Virgem" que sobe ao trono depois da morte da irmã. A meio do seu reinado, a rainha terá de enfrentar o poder da religião e a traição. O rei de Espanha está determinado a desafiar o seu poder com o objectivo de restabelecer o catolicismo em Inglaterra e Elizabeth prepara-se para a guerra. Mas ao mesmo tempo tem de equilibrar os seus deveres reais com uma paixão proibida, sir Walter Raleigh (Clive Owen). Além disso, depressa se apercebe que os seus inimigos não residem apenas no exterior. Internamente, a rainha terá de lidar com as tentativas de traição das pessoas que lhe estão mais próximas.

Filme que infelizmente não está ao nível do primeiro, tenta ser demasiado visual esquecendo a interacção das personagens e o desenvolvimento da história (por vezes não se sabe o que o filme tenta focar). De qualquer forma é sempre um prazer ver Cate Blanchett em acção.

Shoot 'Em Up (2007) - Atirar a Matar















Smith (Clive Owen), um homem sombrio e violento, salva um bebé de um grupo de assassinos e acaba por se tornar no protector do ser mais inocente à face da Terra. Mas o recém-nascido é o principal alvo de uma obscura organização que enviou uma equipa de assassinos, chefiados por Hertz (Paul Giamatti), para apagar qualquer traço de existência do bebé.
Os ataques são cada vez mais violentos e Smith pode apenas contar com ele e com uma prostituta chamada DQ (Monica Bellucci) para salvar a vida da criança e perceber porque todos o querem ver morto.

Um filme cómicamente "silly" com bastante "nonsense" e violência qb. Nada parece fazer sentido e a violência é pela violência. Filme tão estúpido que acaba por ser engraçado.

Tristan + Isolde (2006) - Tristão e Isolda














Tristão é ferido e considerado morto numa campanha inglesa contra a Irlanda. É encontrado por Isolda, uma misteriosa e belíssima irlandesa que o esconde do pai, o Rei da Irlanda. Os dois apaixonam-se, mas Tristão é obrigado a regressar a Inglaterra, sem saber se voltará um dia a reencontrar Isolda. É então que o Rei irlandês oferece a mão da sua única filha e a unificação dos dois reinos ao cavaleiro inglês que ganhar um torneio organizado por ele. Tristão vence o torneio e entrega a mão da princesa a Marke, de forma a pacificar finalmente os dois reinos. Mas é então que descobre que a filha do Rei irlandês é a mulher que o salvou e por quem ele está

Filme que conta a antiga lenda de amor proibido realizado pelo mesmo homem que realizou "Waterworld", o que me deixa logo de pé atrás e com razão. O filme acaba por ter sabor a pouco, muito podia ter sido explorado mas ficou um pouco "ensonso". Desengana-se, não critico negativamente este filme, há um certo cuidado na criação das personagens e o filme tenta dar um ar bastante realista. Apenas ficou muito aquém do que poderia ter ficado.


When the Wind Blows (1986)
















Jim e Hilda Bloggs, tipico casal de classe média britânica cujos filhos já deixaram a casa vive em paz mas a mesma está prestes a ser quebrada pelo inicio de uma guerra nuclear. Uma explosão nuclear traz destruição mas não os mata directamente, deixa-os viver alguns dias de confusão e desespero, até que por fim morrem da radiação.

Ao contrário de muitos filmes que retratam uma guerra nuclear com extrema violência, este filme é extremamente pacífico. Um filme anti guerra (a lembrar que foi feito durante a guerra fria) e que retrata uma história de um casal bastante ingénuo (talvez a retratar a própria humanidade) que não se apercebe dos efeitos da radiação e tenta á força viver uma vida normal mesmo quando todo o Mundo sofre uma destruição nuclear. Não há finais felizes, na guerra todos perdem e apesar do pacifismo do filme, o mesmo é cruel e doloroso - Recomendado.

Gedo senki (2006) - Tales from Earthsea














Algo bizarro se passa por todo o reino, o mesmo deterioriza-se. as pessoas perdem a esperança e cedem muito rápido a tudo o que é fácil e negativo. Dragões que não se encontram desde tempos imemoriais voltam a ser vistos mas em guerra. Ged o mago supremo resolve investigar e durante a sua jornada ele conhece o príncipe Arren, um rapaz jovem mas perdido e entregue ao seu lado negro que se nota em actos de muita energia mas sem piedade e de extremo ódio. Kumo, uma feiticeira que procura a vida eterna, vê no rapaz uma oportunidade.

Filme realizado por Goro Miyazaki, filho do famoso Hayao Miyazaki (A Viagem de Chihiro), baseado no terceiro livro da colecção de Terramar da Ursulla K Le Guin (livros já referidos neste blog). Existem diferenças muito grandes entre livro e filme e levou a á própria autora a "renegar" o filme. Talvez o motivo principal é que este livro já é o volume 3 e portanto apanha a história mais ou menos a meio e portanto há sempre a tendência de tentar colocar um inicio no mesmo. Não resultou tão bem, por mais alterações efectuadas parece sempre qualquer coisa começada a meio e é muito difícil para quem nunca leu de apanhar todo aquele Universo e perceber o cerne da história. A arte não está ao nível dos filmes do pai (Hayao) e falta realmente aquele toque especial que Hayao tem ao realizar um filme verdadeiramente mágico, de qualquer forma ainda é o seu primeiro filme...

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home