sábado, maio 26, 2007

Entert. e cultura a 26/05 - Livros

A Espada de Átila - Michael Curtis Ford

Nos seus romances sobre a Antiguidade Clássica, Michael Curtis Ford consegue captar o horror e o clamor das batalhas tão bem quanto os momentos mais íntimos da vida dos homens que escreveram a História. A Espada de Atila é uma recriação suprema do Império Romano em 400 d.C., quando o General Flávio Aécio é forçado a um combate que não deseja mas que também não pode evitar: fazer frente aos Hunos.

E ninguém conhece tão bem esses bárbaros como Aécio. Afinal, viveu a juventude no meio deles, cavalgou, os seus corcéis de guerra e foi como um filho para o seu rei. Mas quis o destino que fosse sobre os seus ombros que caísse a responsabilidade de salvar Roma. E para isso terá que derrotar um amigo de infância que simultaneamente ama, teme e admira: nada mais, nada menos que o temível e lendário Atila.

Na mesma medida que Bernard Cornwell nos tráz romances históricos com batalhas violentas descomunais misturado com uma boa dose de dados históricos e um romance sólido, Michael Curtis Ford consegue igualmente nos trazer quase como que numa máquina do tempo aos tempos de Atila o Huno.

Os Filhos de Hurin - JRR Tolkien

Num tempo muito remoto, muito, muito antes dos tempos de O Senhor dos Anéis, um grande país se estendia para além dos Portos Cinzentos a Ocidente: terras por onde outrora caminhou Barba de Árvore mas que foram inundadas no grande cataclismo com que findou a Primeira Era do Mundo.

Nesse tempo remoto, Morgoth habitava a vasta fortaleza de Angband, o Inferno de Ferro, no Norte; e a tragédia de Túrin e a sua irmã Niënor desenrola-se sob a sombra do medo de Angband e a guerra forjada por Morgoth contra as terras e cidades secretas dos Elfos.

As suas breves e apaixonadas vidas foram dominadas pelo ódio que Morgoth lhes devotou como filhos de Húrin, o homem que ousou desafiá-lo e zombá-lo na sua própria face. Contra eles, enviou o seu mais formidável servidor, Glaurung, um poderoso espírito na forma de um tremendo dragão de fogo. Nesta história de conquista brutal e evasão, de esconderijos em florestas e perseguição, de resistência apesar do desespero, o Senhor Negro e o Dragão revelam-se de forma sombriamente articulada. Sardónico e trocista, Glaurung manipulou os destinos de Túrin e Niënor com mentiras e astúcia e perfídia diabólica — e a maldição de Morgoth foi cumprida.

Esta história já vem "contada" em outros livros do mesmo autor (O Silmarillion e Contos Inacabados) mas em forma de apontamentos e agregados de forma cacofónica. Desta forma finalmente consegue-se ter uma narrativa coerente conseguida após edição do seu filho Christopher Tolkien (já que o conto era inacabado aquando da morte de JRR Tolkien ).

Finalmente temos uma história do mesmo autor que rivaliza com o Senhor dos Anéis e contráriamente a este, o livro é uma tragédia, não há um final feliz, começa mal e acaba ainda pior. Recomendado.

Para os amantes dos livros do fantástico e se quiserem conhecer um dos maiores escritores ou o maior dos escritores do género fica uma lista dos livros editados em Portugal de JRR Tolkien, também já lidos:













O Senhor dos Anéis I, II e III, O Hobbit














As Aventuras de Tom Bombadil, O Silmarillion, Contos Inacabados de Númenor e da Terra Média

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home