sábado, junho 23, 2007

Viagem a 16-17/06 - Gardunha

Há muito tempo foi-me indicado duas coisas importantes aquando das férias, a primeira, quando há uma viagem grande, nunca colar o final dela com o final das férias, a segunda, fazer uma pequena viagem para o "choque" da desabituação da emoção da descoberta e aventura ser menor. Assim foi, uma pequena viagem de 2 dias pelas terras da Beira Baixa.



Primeiro dia, rumo ao Fundão onde almoçamos e descobrimos que estava a ocorrer a festa da Cereja (15 a 17 de Junho em Alcongosta, a 4 km do Fundão). Mais de 40 produtores de cereja, derivados e outros produtos locais abriram as portas de casa e instalaram tendas pelas ruas da aldeia.






Foi aproveitado para comprar doce e licor de cereja e bastantes cerejas (revelaram-se muito boas). Pena foi realmente o tempo nesse dia não estar nada convidativo para os turistas que ali se deslocaram.









Uma das inúmeras Cerejeiras desta zona que consideram como a capital da cereja do país.
















De seguida rumamos para Zebras, para o Solar dos Caldeira e Bourbon, onde ficamos hospedados nessa noite, tendo sido a primeira experiência de turismo rural a qual foi surpreendente, bastante positiva.

Ficam algumas fotos do local


























Piscina com óptimo aspecto mas o tempo instável e a temperatura baixa para a época não anteviam banhos, fica para a próxima.

















Igreja de Zebras, a poucos metros do Solar












Após chegarmos e descarregamos as malas, foi aproveitado o resto do dia para efectuar uma pequena visita aquela que chamam a aldeia mais portuguesa de Portugal, Monsanto.




















A aldeia estava envolta em neblina o que tornava o local mágico e misterioso. Efectuamos a subida para o castelo mas por outro caminho pedestre secundário para aproveitar o misticismo da paisagem circundante























O caminho era realmente por dentro das duas rochas.











Pelo caminho encontram-se marcas para se saber qual o caminho a seguir, bastante útil neste dia em que não se via muito bem a maior distância e rezávamos para não começar a chover.















Por falar em rezar, chegávamos ao castelo e já era visível a igreja que apareceu no meio da neblina e já fazia-me lembrar alguns filmes de terror.


















































No dia seguinte efectuamos algumas visitas culturais e paisagísticas pela região circundante, começando pela aldeia de Alpedrinha.




















Aldeia de Castelo Novo (com bastantes obras de recuperação)






















Subida à Gardunha (vista panorâmica espantosa com a serra da Estrela ao fundo).










Passagem pela aldeia de Janeiro de Cima para conhecer uma das aldeias de Xisto da região, com uma breve visita à casa das Tecedeiras que funciona como oficina e também como um local privilegiado para venda de produtos ao público. É aqui também que se encontra o Museu do Linho, um centro de interpretação dedicado ao Ciclo do Linho, desde o cultivo à transformação e confecção.






















Por esta altura já estávamos a passar por uma zona de enorme beleza seguindo o rio Zêzere e envoltos pelas serras do Açor e de Gardunha.
















Uma foto do rio Zêzere, serpenteando entre os montes, nascido nas altitudes da Serra da Estrela vai desaguar no rio Tejo.












Antes de abandonarmos esta região, uma visita a uma das mais bonitas quedas de água da região - Fraga da Água d'Alta -uma das quedas de água mais espectaculares da Beira. Local muito acessível pode-se tocar a água sem risco nem esforço. Fica no caminho antigo de Orvalho para Vilar Barroco.

A viagem finalizou-se aqui, restam as lembranças...











Visualização das aldeias e lugares passados através do Google Earth












Uma última foto só para fechar com chave de ouro

3 Comments:

Blogger luantes said...

dorei visitar este blog
Evidentemente que esta é a minha região
passaram ao lado da minha aldeia que tambem mereceria uma visitinha
ma s ficará para outra altura não é??
pois bem tudo o que for divulgar esta região das beiras é optimo
continuem
e visitem Bogas de Baixo nem que seja virtualmente através do blog http://bogasdebaixo.blogspot.com

7:27 da tarde  
Blogger MACP said...

Bogas de Baixo... lembro-me de ver a placa a apontar para essa aldeia mas efectivamente não dá para visitar tudo o que há para visitar no tempo que dispomos para tal. Infelizmente por vezes descubro que passei por um local fantástico mas que não conheci e acabo por perder uma boa experiência, mas é assim, conhece-se o que se pode. Infelizmente não existe um atlas detalhado deste país com fotos a mostrar todos os locais ao mais infimo pormenor mas esforço-me para conhecer novos locais. Vou dar uma olhadela no teu blog.

12:56 da tarde  
Anonymous gardunha said...

Estou a ver que passaram por Alcongosta no dia mais complicado da Festa da Cereja, com a chuva a perturbar a animação de rua e o evento em geral.
Mas têm oportunidade de repetir a experiência, com a boa-vontade de São Pedro, entre 13 e 15 de Junho de 2008.
Festa da Cereja, naquela que é a Capital da Cereja, em Alcongosta
pedacosdealcongosta.blogspot.com

11:56 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home