sábado, outubro 04, 2008

Entret. e cultura a 04/10 - Filmes

Astérix aux jeux olympiques (2008) - Asterix nos Jogos Olímpicos













Astérix e Obélix regressam para uma nova e hilariante aventura, baseada na obra de Goscinny e Uderzo. Desta vez, Astérix e Obélix têm que vencer os Jogos Olímpicos e derrotar o maquiavélico Brutus, filho de César, para que um jovem gaulês, Apaixonadix, possa casar com a Princesa Irina. Mas Apaixonadix não é nenhum atleta e Astérix, a quem a poção dá uma força descomunal, fica em apuros ao ser banido. E até Obélix, que caiu no caldeirão da poção mágica quando era criança, começa a duvidar dos seus músculos. Será que eles conseguirão vencer os Jogos?

Refraseando um critico, um é pouco, dois é bom, três é demais. Depois do divertidissimo e original Astérix & Obélix: Mission Cléopâtre este filme veio deitar água fria na série. As piadas não se aguentam, a historia não se desenvolve fluentemente e nem a majestosa figura de César - Alain Delon, nem o talentoso Gérard Depardie salvam este desastre. O melhor momento do filme é uma participação especial de uma figura muito conhecida na corrida de bigas (e mais não digo para não estragar a surpresa). O filme parece uma coisa cantada por Assurancetourix o bardo...


The Mummy: Tomb of the Dragon Emperor (2008) - O Túmulo do Imperador Dragão














O aventureiro Rick O'Connell (Brendan Fraser) regressa para combater o ressuscitado Imperador Han (Jet Li), num épico que vai desde as catacumbas da antiga China até aos gélidos Himalaias. Rick é acompanhado nesta nova aventura pelo filho Alex (Luke Ford), a esposa Evelyn (Maria Bello) e irmão dela, Jonathan (John Hannah). Os O''Connell terão de impedir uma múmia com 2000 anos de lançar uma maldição sobre o mundo e colocá-lo, de modo impiedoso, à sua mercê.

Mais uma vez... um é pouco, dois é bom, três é demais. Para começar Rachel Weisz recusou-se a participar como Evelyn O'Connor após ler o guião, a escolha da personagem para filho de Rick (Brandon Frasier) é demasiado velha, e outro pormenor, o filme não tem múmias!!! A magia do primeiro filme (e um pouco do segundo diluido pelos efeitos visuais) desapareceu por completo para um enredo com sentido apenas de colocar o máximo de efeitos visuais possivel. Nãohá quimica entre as personagens e a acção é descabida...Vale o esforço do Brandon mas fujam da (ausente) múmia.


Speed Racer (2008)














Speed Racer (Emile Hirsch) é um ás ao volante, sempre a abrir dentro e fora das pistas. É agressivo, instintivo e sobretudo destemido. O seu único tormento é a morte do irmão numa corrida. O carro de Speed é o Mach 5, desenhado pelo seu pai, e o corredor mantém-se fiel ao negócio de família. Mesmo quando é aliciado pela Royalton Industries, cuja proposta rejeita, enfurecendo o dono da companhia. No entanto, Speed percebe que recusar a oferta pode significar nunca mais cortar uma linha de meta, ainda mais quando há um conjunto de empresários dispostos a manipularem os melhores corredores para aumentarem os seus lucros. A única forma de Speed salvar o negócio da sua família, e defender o desporto que adora, é vencer a Royalton no seu próprio jogo. Para isso, terá de vencer a corrida que matou o seu irmão: a perigosa The Crucible.

"Speed Racer" é realizado por Larry e Andy Wachowski, os criadores da trilogia "Matrix".

Um dos flops do verão, esta adaptação de uma animação dos anos 60 perdeu velocidade e ainda por cima despistou-se por completo. Mas mesmo assim para mim nem tudo é mau, os irmãos Wachowski conseguiram criar uma corrida psicadélica em tons de LSD completamente virtual e não é standard hoje em dia encontrar coisas iguais a este produto, portanto pode não ter ganho nenhuma taça mas ganhou alguns pontos...

Hancock (2008)














Há heróis, super-heróis e há Hancock (Will Smith), um herói incompreendido que vive em Los Angeles. As pessoas estão fartas dele, mas Hancock não se preocupa com o que os outros pensam. Até que um dia descobre que talvez tenha um lado vulnerável.

Este filme acerta bem a primeira parte, um super-homem sem conhecimento do seu passado, bêbado mas lá no fundo tem a semente para se transformar aos poucos um verdadeiro super-herói. A acção e a comédia da primeira parte é bastante boa e realista misturando tão rápidamente uma e outra de forma inteligente. Após esta parte a verdade vem ao de cima e a acção desenrola-se mais ao nível de um filme normal de Hollywood, perdendo assim gás. Não deixa de ser um filme bastante interessante.



Hellboy II: The Golden Army (2008) - O Exército Dourado















Hellboy nasceu nas chamas do Inferno, durante a Segunda Guerra Mundial, e foi trazido para a Terra pelo malvado Rasputine para fazer o Mal. Mas os Aliados salvaram-no e criaram-no como um filho, desenvolvendo as suas capacidades sobrenaturais. Hellboy torna-se então um monstro que, apesar de vermelho, ter chifres e ser muito incompreendido, tem um coração de ouro e luta ao lado do Bem. E quando é preciso enfrentar as forças do Mal e deixar o trabalho bem feito não há ninguém melhor para chamar. Neste segundo filme da série, que volta a ser realizado por Guillermo del Toro ("O Labirinto do Fauno"), Hellboy (Ron Pearlman) terá de enfrentar uma série de vilões diabólicos. O reino do Inferno está prestes a invadir a Terra, depois das tréguas entre a Humanidade e o reino fantástico terem sido quebradas. O mais duro dos heróis terá então de derrotar o mais implacável ditador e o seu exército de seguidores.

Sequela do filme baseado na personagem de Mike Mignola, este é um filme de Guillermo del Toro, mas quase não parecia. A aventura desenrola-se bastante na base da aventura de acção fácil e toques de comédia ligeira. Mas olhando bem no fundo consegu-se notar um desnevolvimento inteligente do enredo em contornos de "thiller polocial". Deslumbra? Não. Mas diverte na quantidade certa (o que hoje em dia já nem se vê muito).


Wanted (2008) - Procurado
















Um jovem, aparentemente comum, descobre que o pai, entretanto falecido, era um assassino profissional. É então recrutado por uma bela mulher, Fox, para retomar o lugar do pai e vingar a sua morte.

Filme baseado na BD de Mark Millar e J.G. Jones já falada anteriormente e se para mim é pena não terem pegado na frieza e critica social associada á BD a acção deslumbra e bastante. A história acaba por ser bastante distorcida para apenas compreender uma história de assassinos profissionais com características sobre-humanas mas é entretenimento q.b. para nós comuns mortais. Angelina Jolie é a escolha para a personagem mas nem é tão bem aproveitada como a achei um pouco apagada, sem falar que rouba demasiado o protagonismo para a personagem principal e isso era necessário para levar o filme a um local mais sólido.


Warau Mikaeru (2006) - Arch Angels















Quando a mãe de Fumio morre esta descobre que tem um meio-irmão mais velho de nome Kazuomi. Kazuomi é um rapaz bastante abastado e resolve cuidar da sua meia-irmã, enviando a mesma para uma prestigiada escola privada católica, Academia de St. Michael's. Fumio não consegue se integrar de inicio mas acaba por fazer 2 amigas muito parecidas com ela, Kazune e Yuzuko. As 3 amigas resolvem manter a sua máscara de "boa educação"com as restantes colegas mas sozinhas comem doces, snacks e leiem livros não tão éticos. Um dia ocorre um estranho encadeamento de eventos e deixa as 3 com poderes extraordinários tais como super força e controlo sobre a electricidade Com estes poderes acabam por se envolver em problemas uma vez que existem raparigas que estão a ser raptadas na escola.

Bem é sempre uma boa fetiche ver umas teens japonesas em bonitos vestidos pretos... este filme não está feito para ser complexo ou fazer ginástica mental. É apenas um exercício de divertimento para entreter e faz isso mesmo, diverte com uma comédia leve (apesar de algumas piadas se perderem com a tradução) mas bem construida.


Dreams (1990) - Sonhos
















Oito histórias soltas baseadas em sonhos do realizador Akira Kurosawa sobre o homem e o mundo que o rodeia.

São oito segmentos. No primeiro, "A Raposa", uma criança é avisada pela mãe que não deveria ir à floresta quando há chuva e sol, pois é a época do acasalamento das raposas, que gostam de serem observadas. Mas ele desobedece os conselhos e observa as raposas, atrás de uma árvore. Ao retornar para casa sua mãe não o deixa entrar e lhe entrega um punhal, dizendo que como ele havia contrariado a raposa ele deveria se matar, mas ela sugere algo que pode remediar a situação. Na segunda, "O Jardim dos Pessegueiros", o irmão mais novo de uma família, ao servir chá para as irmãs, depara com uma moça que foge. Indo ao seu encalço, nota que ela é uma boneca e depara com os pessegueiros da sua casa totalmente cortados, restando só tocos. Os espíritos dos pessegueiros surgem para ele e, em uma dança melancólica, dizem que as bonecas são colocadas para enfeitar e festejar a florada dos pessegueiros, mas como eles não mais existem naquela casa não fazia sentido a presença das bonecas. Na terceira, "A Nevasca", o líder de uma expedição, junto com seu grupo, se vê em meio a uma nevasca. Eles sucumbem a nevasca, mas repentinamente surge uma linda mulher que envolve o líder com uma echarpe prata. Ele percebe que ela é a morte, que se transforma em uma horrenda figura, então ele vê que está próximo do acampamento e tenta acordar os companheiros, mas não consegue. Ouve então uma corneta, indicando que o acampamento está mais próximo do que imagina. No quarto, "O Túnel", ao entrar em um túnel o capitão de um exército é surpreendido por um cão, que ladra para ele. Atravessa então o túnel em curtos passos. Na saída ouve alguém caminhar e depara com um dos seus soldados morto em combate, que pensa não estar morto. No quinto conto, "Corvos", um jovem pintor, ao observar as pinturas de Van Gogh, entra dentro dos quadros e se encontra com o pintor, que indaga por qual razão ele não está apintar se a paisagem é avassaladora, e isto o motiva a pintar de forma frenética. No sexto conto, "Monte Fuji em Vermelho", o Fuji entra em erupção ao mesmo tempo ocorre um incêndio em uma usina nuclear, provocado por falha humana. É desprendida no ar uma nuvem de radiação. Um homem relata ser um dos responsáveis pela tragédia e diz preferir a morte rápida de um afogamento à lenta provocada pela radiação. No sétimo, "O Demônio Chorão", ao caminhar um viajante encontra um demônio, que lamenta ter sido um homem ganancioso e, como muitos, transformou a terra em um lastimável depósito de resíduos venenosos. No último, "Povoado dos Moinhos", um viajante chega à um lugarejo conhecido por muitos como Povoado dos Moinhos. Lá não há energia elétrica e tampouco urbanização. Um idoso, ao ser indagado, relata que os inventos tornam as pessoas infelizes e que o importante para se ter uma boa vida é ser puro e ter água limpa.

É verdade que os sonhos são muitas vezez sem sentido, estranhos, complexos... mas por vezes (tal como é dito no Animatrix) não há certeza se o que sonhamos não será a realidade e a dita realidade não é um sonho... Akira Kurosawa coloca aqui os seus sonhos como uma reflexão em fim de vida. Este filme pode não ser uma obra suprema como Ran - O Senhor da Guerra, mas não é feito com o mesmo intúito. Este filme é um exercício de auto consciência da humanidade, valores como o conceito de arte, simplicidade de vida, respeito pelo ambiente, pela cultura, ver a verdadeira natureza da guerra são alguns pontos revistos. Para mim, uma obra prima - Altamente Recomendado.


WALL·E (2008)
















Há 700 anos, os humanos abandonaram a Terra, mas sonham voltar um dia. Para trás, ficou apenas Wall.E, um pequeno robô muito curioso e que se sente um pouco sozinho. Até ao dia em que chega a bela Eve, uma sofistica robô, que percebe que Wall.E pode ter descoberto, inadvertidamente, a solução para o futuro da Terra. Wall.E encanta-se por Eve mas ela corre de volta para o Espaço para contar aos humanos que a hora por que há tanto esperam pode estar perto. Talvez, por fim, seja seguro regressar à Terra, voltar a casa. Wall.E, no entanto, não desiste da sua amada robô e persegue-a galáxia fora, numa divertida aventura. Wall.E chegou para encantar e percebe-se porquê: pertence às melhores famílias e foi criado pelos humanos responsáveis por "À Procura de Nemo", "Carros" e "The Incredibles - Os Super-Heróis".

John Lasseter realiza mais uma obra prima da Pixar, e quando digo mais uma não é de forma depreciativa, vem do facto que é incrível como um estúdio tem conseguido não só manter mas evoluir a qualidade das animações americanas. Ecológico, romântico, complexo, visualmente impressionante, hilariante são algumas palavras que me posso lembrar para descrever um dos melhores filmes do ano. Altamente recomendado para toda a gente (miudos e graúdos).


Oseam (2003)
















Oseam é um conto de fadas acerca de Gilson, um menino de 5 anos, que vai à procura da sua mãe. Com a sua irmã cega (Gami), que é a única pessoa que tem no mundo, os irmãos vão para um templo budista. Querendo ver a sua mãe, mesmo apenas por instante, Gilson segue um monge até um templo numa montanha, para aprender a ver com a sua mente. "Se eu desejar com todo o meu coração, a minha mãe vai regressar para me ver!"

Apesar de baseado numa obra de um escritor aclamado achei o filme arrastado, agridoce, demasiado religioso e já batido. "O Túmulo dos Pirilampos" de Isao Takahata explora mais brutalmente e friamente o tema e sinceramente é mais profundo.


Sero hiki no Gôshu (1982) - Goshu the Cellist

















Um violoncelista de uma pequena orquestra recebe ajuda de vários animais de forma a poder evoluir e aperfeiçoar a sua técnica.

Baseado na obra de Kenji Miyazawa, um dos mais amados poetas/escritores do Japão, este filme foi um arriscar muito alto já que qualquer deslize e o filme poderia se transformar num artigo odiado. Nada havia a temer, este tornou-se uma das melhores adaptações das obras do escritor e um dos melhores filmes de animação que já vi. Para os verdadeiros amantes de animação de qualidade e para musicos - imprescindível.


Animal Farm (1954) - O Triunfo dos Porcos
















Baseado no célebre romance de George Orwell (um dos melhores romances escritos de sempre), O Triunfo dos Porcos conta a história de um grupo de animais de quinta que se revoltam com sucesso contra o seu cruel dono, apenas para serem escravizados de novo por Napoleão, um porco sem escrúpulos, cujo lema é "todos os animais são iguais, mas alguns são mais iguais que outros."

Esta é uma fábula baseada na realidade de então (relembrando que foi escrito em 1944), descrevendo a subida ao poder de Estaline e as forças Socialistas tendo como actores animais numa quinta. A fim de conhecer bem toda a politica envolvente do filme é necessário ler um pouco da história russa mas não é imprescindível já que é muito fácil de prever que em revoluções as coisas podem dar realmente para o torto (autoritarismo e totalitarismo)... Recomendado para todos de forma a compreenderem melhor os perigos da civilização humana.


Mari iyagi (2002) - My Beautiful Girl, Mari
















Na-moo encontra-se com Jun-ho, seu amigo de infância e juntos recordam os tempos que passaram juntos, quando crianças, numa pequena aldeia piscatória. Saltamos para o passado. Na-moo (Lee) vive com a mãe (Bae), a avó (Na) e o gato. A mãe começa a namorar Kyeong-min (Ahn), um pescador local, algo que não agrada nada a Na-moo; o que não é uma surpresa, pois a criança não parece simpatizar particularmente com ninguém. Na escola, a sua mente deambula por outras paragens. Na-moo e Jun-ho (Kong) passam grande parte do tempo livre junto de um velho farol. Um dia, o rapaz encontra um berlinde brilhante, com uma misteriosa figura branca no seu interior, que se revela a chave para um mundo de fantasia.

Vencedor do Grande Prémio do Festival de Animação de Annecy, «My Beautiful Girl, Mari» é uma produção de animação digital de orçamento relativamente baixo. Apesar do prémio, achei a história bastante algol e já explorada de melhor forma no passado(por exemplo "Tonari no Totoro" de Miyazaki). É uma boa animação mas não se destaca.


Homme qui plantait des arbres, L' (1987) - O Homem que Plantava árvores
















Este filme conta a história de Elzeard Bouffier, que durante 35 anos cultivou calmamenteuma magnífica florestanumaárea desértica de França. O conto é descrito por um jovem viajante que encontra este homem um dia nas suas viagens, este rapaz acompanha a mudança na paisagem durante as décadas.

Para que o carácter de um ser humano revele qualidades realmente excepcionais, é preciso ter a sorte de poder observar as suas acções ao longo de muitos anos. Se tais acções são desprovidas de todo o egoísmo, se o ideial que as dirige é de uma generosidade ímpar, se é absolutamente certo que não procuraram qualquer recompensa e se, além disso, deixaram marcas visíveis no mundo, estamos então, sem sombra de dúvida, perante um carácter inesquecível.” - Jean Giono

O Homem que Plantava árvores é realizado por um génio da arte e da animação, Frédéric Back (inspirador de nomes tal como John Lasseter dos estúdios da Pixar) e baseado na obra de Jean Giono. Junto com esta obra deslumbrei-me com outras obras do mesmo realizador que vêm junto com este filme. Esta é uma obra que melhor falada, tem de ser vista. Imprescindível para os amantes da animação de qualidade.


Mind Game (2004)


















O filme segue Nishi, um rapaz falhado que tem uma queda pela sua colega dos tempos em que eram crianças. Depois de um encontro com a Mafia japonesa, o filme segue Nishi na sua viagem ao Céu e de volta á Terra onde encontra a sua coragem para mudar a sua vida mas acaba num sitio deveras peculiar com a sua antiga amiga e irmã desta. Nishi e as suas amigas descobrem o seu significado de vida.

Esta animação é uma viagem á nossa imaginação onde temos de ter uma mente bem aberta para todos os conceitos introduzidos e técnicas inovadoras de animação. Não muito fácil de assimilar e completamente caótico parecendo mais um efeito de droga no cérebro, recomendo vivamente a todos os amantes de animação de qualidade de mente aberta.

Este tem sido um período rico em boas animações vistas....

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home