segunda-feira, agosto 20, 2007

Entret. e cultura a 20/08 - BD

Após rever o blog verifiquei que algumas bds que tenho lido ficaram de parte por descuido ou esquecimento portanto junto ás ultimas que li:

A colecção Spirou e Fantasio do Público chegou ao fim, sendo que deixaram os 2 melhores para terminar com chave de ouro. Depois da colecção do Tin Tin, só faltava mesmo a do Asterix.. quem sabe...




















O Ciclo de Cyan - Aieia de Aldaal de Bourgeon-Lacroix














Terceiro álbum da série e o primeiro editado pela ASA. Cyann é a herdeira da dinastia dos Olsimar, do planeta Olh. Para encontrar um medicamento para a cura das febres púrpuras, uma terrível doença que dizima a população masculina do seu povo, foi nomeada para liderar uma missão ao planeta IlO. Depois de muitas aventuras regressou a Olh com um antídoto contra a terrível doença e com a certeza de que tinham sido os deO, outros habitantes de Olh, os responsáveis pela epidemia. Entretanto, um Vê, uma espécie de sábio milenar, ensinou-lhe como viajar através da rede de portas do Grande Orbe. Desta forma, Cyann poderá viajar por todo o Universo já que cada porta dá acesso a milhares de outras espalhadas pela imensidão do espaço. Neste terceiro álbum assistimos a uma viagem até Aldaal. Na verdade Cyann queria viajar para Aldalarann, mas, em vez de introduzir coordenadas no painel virtual, deu um comando de voz e em vez de chegar a Aldalarann, encontrou-se em Aldaal-Daalda onde um bando de crianças selvagens e violentas a capturaram. Depois, venderam-na a Aieia, uma aventureira que esperava fazer dela um objecto sexual. Mas a vida de Aieia não é mais do que uma fuga a Mortomor, seu eterno inimigo. Cyann negoceia com ela: se Aieia a ajudar a encontrar uma porta para sair de Aldaal, Cyann leva-a com ela. Será que depois de muitas conturbadas aventuras, o pacto se vai manter?...

A parceria Bourgeon-Lacroix elabora mais um volume de qualidade da BD Franco-Belga, numa muito bem conseguida saga de ficção científica. De notar apenas como factor negativo (ou não) a extrema complexidade desta saga e pessoalmente prefiro as sagas apenas a cargo de Bourgeon


Maré Baixa de Daniel Pécqueur e Jean-Pierre Gibrat















Numa quase fantasia do género dos irmãos Grimm, o album divide-se claramente em 2 uma vez que existe um antes e depois da apocalipse existente na história. Feito quase em termos de sonho, complexo e confuso. Um rapaz que se torna num urso de peluche, cataclismos, até a morte em forma de uma mulher atraente...


O Manancial da Noite de Miguelanxo Prado e Fernande Luna











Conta a história de Manuel Montano, um detective privado tirado de um filme do Bogart mas fora de época e falhado em que tem como missão encontrar o Manancial da Noite, sem que o mesmo saiba (tal como nós) do que se trata entrando numa busca labirintica que se afasta sempre do objectivo e finaliza sempre sem dinheiro. Este livro que retrata um drama em forma de comédia tem um sentimento forte urbano e nocturno. Este livro ganhou o troféu Alph'art de melhor álbum estrangeiro no Festival de Angoulême, em 1991.


Tangencias de Miguelanxo Prado















Este livro retrata pequenas histórias que refletem as dificeis relações amororsas de uma forma negativa e superficial, com esse mesmo propósito, uma reflexão aos encontros breves de 2 pessoas numa fase da sua vida (num ponto - tangente), relações essas vazias, superficiais e temporárias.

Quarteto Fantástico - O Fim por Alan Davis



















Alan Davis sempre foi um dos meus desenhadores preferidos devido ao realismo dado aos movimentos humanos e pelo tom britânico visível nos traços. Este livro reúne as 6 revistas que compõem a mini-série dirigida ao Quarteto Fantático, que faz parte de uma série publicada pela Marvel que aborda o possível fim de várias personagens deste Universo. Cada conjunto ficou a cargo daqueles que influenciaram mais a personagem mas estranhamente alan Davis pouco tem a ver com o Quarteto Fantástico, mas apesar disso, fez questão de ser o criador desta mini-série. A mini-série tem bastante qualidade e tenta recriar o Universo galáctico do Quarteto Fantástico, batalhas cósmicas, problemas afectivos dentro da equipa, descriminação e muito Sci Fi... De forma confusa e sem tirar o fôlego todas estas décadas foram comprimidas com tenacidade mas demasiado foi tentado incorporar em tão pouco espaço e pesa como factor negativo.

The Walking Dead volumes 3 a 6 de Robert Kirkman































































Já referi a leitura dos 2 primeiros albuns num post mais antigo e é uma série de BD americana para manter debaixo de olho. Muito dentro do espirito dos filmes de Zombies de Romero, esta série é uma verdadeira obra prima da BD americana em que os zombies e o gore não são a finalidade desta obra, o que é posto em causa aqui é a própria humanidade e o espirito humano, quem são os verdaeiros zombies?

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home