terça-feira, agosto 28, 2007

Entret. e cultura a 24/08 - Filmes

Tem sido uma altura rica em filmes, muita coisa em pilha para ver e o tempo não era muito, finalmente a serem vistos e apreciados, alguns por curiosidade, outros por que calhou... cá vamos para a lista:

The Haunting (1963) - A Casa Maldita














Esta sempre foi uma casa maligna, uma casa nascida para o mal." A casa é uma velha mansão chamada Hill House. Ninguém lá vive. Ou pelo menos assim parece. Por favor, entrem para verificar.Mesmo para quem não acredite em fantasmas, não há como negar o medo quase palpável provocado por este clássico de cinema. "

Quatro pessoas visitam uma casa abandonada para investigar os seus supostos fenómenos sobrenaturais... ou será que foi a casa que os atraiu propositadamente?

Um thriller sobrenatural práticamente sem efeitos visuais e como tal, muitos diálogos desenvolvimento de personagens são esperados, é um filme que tende em assustar pelo crescimento do sentimento de ansiedade e claustrofobia. Um clássico que pode dar muitas lições de como efectuar um filme para realmente assustar. De qualquer forma não é um filme para todos, quem não estiver habituado poderá não se deixar envolver e achar o filme "chato" (este filme é de 1963...)

Premonition (2007) - Premonição

















Linda Hanson (Sandra Bullock) tem uma linda casa, um marido que a ama e duas filhas encantadoras. A vida dela é perfeita até ao dia em que recebe a trágica notícia de que o marido Jim (Julian McMahon, Quarteto Fantástico) morreu num acidente de automóvel. Quando acorda na manhã seguinte, o seu marido está vivo e a cantar no chuveiro.Terá sido um terrível pesadelo ou aconteceu realmente?A premonição de Linda provoca uma série de estranhos acontecimentos e, gradualmente, ela começa a descobrir o que o futuro lhe poderá trazer. A correr contra o tempo, nada impedirá Linda de descobrir o verdadeiro significado da realidade.Tentará ela mudar o destino?

Havia visto outro filme faz algum tempo (Premonition - Yogen de 2004) e verifiquei este pensando que fosse um remake mas sinceramente não parecem ter muito de comum apenas no facto de haver saltos no tempo e desejo de alteração do futuro (passado?).

Vi muita má critica e até concordo com uma boa parte mas sinceramente dentro de uma gama de muitos "fast movies" que inundam o mercado este obriga a uma atenção pormenorizada e a um acompanhamento mental com algum esforço para quem não está habituado a este tipo de filmes o que até é positivo (e penso que daí resulte o flop do mesmo). O fim está bastante aceitável e era o mais correcto. Pesa negativamente os clichés q.b, a pouca solidez de toda a estrutura (a idéia geral até é boa) pois este tipo de filme não é para todos (acho até que é necessário muita coragem) e o mesmo contém inúmeras inconsistencias no argumento que fazem com que a boa idéia não dê os frutos desejados.


Gwoemul (2006) - The Host - A Criatura













Park Hui-bong (Byeon) explora um quiosque numa área recreativa na margem sul do Rio Han, em Seoul, com a ajuda do filho mais velho, Gang-du (Song). Hui-bong tem mais dois filhos: Nam-il (Park Hae-il), desempregado, e Nam-ju (Bae), arqueira de competição. O elemento mais jovem da família é Hyeon-seo (Go), de 14 anos, filha de Gang-du. Uma criatura mutante desponta do rio, atacando os cidadãos que se encontram no parque, e arrastando consigo Hyeon-seo. Gang-du acredita que a filha ainda está viva e, escapando à quarentena imposta pelas autoridades — que alertam para um vírus altamente contagioso, detectado nos que estiveram próximos da criatura —, a família une-se numa desesperada missão de salvamento e numa corrida contra o tempo.



Uma bela surpesa Coreana para este ano, muito se falou sobre o filme e com razão, o tópico cultural e politico dos filmes de monstros voltou a despertar com este filme, não é apenas mais um filme de monstros a destruir coisas , tem mais do que é apresentado á vista... este filme, salta da comédia para o drama, para o terror em poucos segundos e com uma mestria terrível. Os efeitos visuais estão bastante satifatórios para um filme feito no país que foi mas o que se pretende não é um filme de efeitos, é um filme sobre o conceito de família e a enorme dificuldade em manter a coesão da mesma. Recomendado.

Ratatouille (2007) - Ratatui














Um rato chamado Remy sonha ser um magnífico chefe de cozinha contra a vontade da sua família e o maior problema do mundo: ser uma profissão em que os ratos são um alvo a abater. Quando o destino o leva até Paris, Remy vai parar ao sítio dos seus sonhos: um restaurante famosíssimo graças ao seu chefe, Auguste Gusteau. Apesar de todos os perigos por ser um convidado indesejado na cozinha de um dos restaurantes mais chiques de Paris, Remy cria uma parceria inesperada com Linguini, o rapaz do lixo, que, por acaso, descobre os talentos secretos de Remy. Esta parceria gera uma cadeia de acontecimentos hilariantes que vai provocar uma reviravolta no mundo da culinária e fazer com que Remy questione o seu futuro. Será que deve correr atrás do seu sonho de ser um chefe talentoso ou regressar às suas origens como rato?

Como um fã incondicional de filmes animados, seria um crime deixar este filme passar, sendo este mais uma obra prima da Pixar. Mais uma vez se suplantaram, mesmo em relação ao filme anterior (Cars) e algo que raramente se vê hoje em dia, um excelente filme feito com coração e destreza, salta para o grande ecrã. Para evitar um perder de horas em escrita (ver comentário no Público), apenas aconselho a não perder o mesmo. Um filme realmente para toda a família em que o adulto não se vai sentir fora de ambiente. Recomendado

Uchû kaizoku Captain Harlock: Arcadia-gô no nazo (1978) - Harlocck, O pirata do espaço












O Capitão Harlock da Federação Solar recusa render a sua nave de guerra, Deathshadow, à raça Illumida que conquistou o planeta Terra. Após rejeitar um cargo importante na armada dos invasores alienígenas, ele foge e une forças com o engenheiro Tochiro, que acaba de construir a nave pirata, Arcadia. Com a ajuda de bravos combatentes, Harlock jura derrotar os invasores, a qualquer custo.
Criado por um dos maiores monstros da animação japonesa de séries de ficção cinetifica, Leiji Matsumoto, (Galaxy Express 999, Space Battleship Yamato e mais recentemente os videoclips de Daft Punk do album Discovery) com este filme navega nos mares do romantismo com anti-heróis e uma história trágica de luta pela liberdade. Um clássico das animações japonesas para os apreciadores da velha guarda do Animé

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home